[ etc ] Resenhando

Nos últimos dias, alguns queridos blogueiros tem me enviado e-mails me perguntando como é o meu processo de escrever uma resenha e até mesmo me solicitando dicas. Por isso, achei interessante fazer um post sobre o assunto. Mas já adianto que cada um possui o seu estilo, e que o meu, definitivamente, não é o melhor ou o mais correto ou o que for: simplesmente, é o meu jeito de me organizar pra escrever sobre os livros que leio.

A minha resenha é opinativa. Até descrevo (resumidamente) a história, mas o foco são as impressões técnicas que tive da obra. Ou seja: analiso o desenvolvimento dos personagens, a trama, seus pontos de virada, mas, principalmente, as emoções que o livro me despertou – é nessa parte que consigo traçar uma identificação com quem está lendo a resenha.

Você me pergunta: ah, e tem como aprender a analisar um livro tecnicamente? Há curso disso? Que eu tenha conhecimento, não. Claro que a minha formação em Jornalismo me ajuda na parte de construção da estrutura da resenha, mas somente lendo muito e de tudo para começar a perceber melhor as especificidades das obras.  Por exemplo, há livros que eu gosto muito, mas sei que não são bem escritos. Para se ter essa leitura mais crítica, há livros no mercado que podem ajudar. Dá um Google e seja feliz.

O processo de desenvolvimento da resenha

Durante a leitura do livro vou marcando parágrafos que me chamaram atenção, assim como anoto os sentimento que alguns trechos despertaram em mim. Então, sim, meus livros são rabiscados a lápis – não tenho nenhum problema com isso. Esse ato, na fase que estiver escrevendo a resenha, me ajuda bastante.

Marco meus livros com lápis sem dó.

Quando termino a leitura da obra, anoto os pontos principais em um caderno que tenho somente pra isso, mas bem rebuscado e em tópicos. Tudo muito simples. Então, deixo a história de lado, e pego outro livro pra ler. Motivo: já fiz resenhas demasiadamente positivas ou negativas no calor do momento. Prefiro esfriar minhas emoções sobre aquela obra para depois analisá-la mais racionalmente. Esse standby dura, geralmente, o espaço de tempo de leitura de três livros. Isto é, quando estou terminando de ler o terceiro, resenho aquele primeiro que ficou ‘esquecido’.

Meu bagunçado e querido caderno de rascunho

Aí, então, pego o meu caderninho com as anotações, o livro com as partes destacadas e passo para a etapa seguinte, que é…

A construção da estrutura da resenha

Agora sim, entra a parte mais técnica. Separo as minhas resenhas em 5 blocos, que seguem essa ordem:

- Apresentação da obra e do autor: com informações de venda, se trata de uma série, nacionalidade do autor, quantos livros já lançou…

- Sinopse: em, no máximo, dois parágrafos resumo sobre o que trata a história; e não, não uso, a sinopse que é divulgada pela assessoria de imprensa – esse texto não é pra fazer parte da resenha, gente. :) Aqui, também tenha cuidado com os spoilers ou com a péssima mania que a maioria tem de contar a história tim-tim por tim-tim. Quem quer saber dos detalhes, vai comprar o livro.

- Quote: escolho alguma parte importante e significativa do livro. Somente escolho uma, pois muitos quotes fazem a leitura ficar quebrada, além de não ser bonito visualmente.

- Análise crítica: disserto sobre a construção dos personagens, como a trama foi desenvolvida, se os ponto de virada foram satisfatórios, as emoções que o livro despertou em mim, informações sobre a parte gráfica (capa, revisão de texto, tradução). É a maior parte da resenha, pode chegar até 8 parágrafos curtos – nada de ficar divagando muito também, que o meio online não foi feito para textos longos.

- Final: geralmente, informo se há outro livro do autor a ser lançado, ou se ele irá fazer alguma tarde de autógrafo. Às vezes suprimo essa parte se eu conseguir alguma frase de impacto na anterior para fechar a resenha.

O cuidado com o português

Meu xodó desde a época de faculdade

Como amante da nossa língua pátria, tenho o maior cuidado ao escrever. Como no curso de Jornalismo tive aulas de português e redação em todos os períodos, na marra, aprendi a escrever corretamente. Claro, porém, que não sou perfeita e vira e mexe dúvidas surgem. Quando isso acontece, recorro à gramática do Evanildo Bechara, A Moderna Gramática Brasileira, e ao Manual de Redação, O Estado de S. Paulo.

Além disso, antes de postar a resenha, a leio em voz alta três vezes (no mínimo) para encontrar cacofonias, uso de palavras repetidas etc. Dá muito certo, gente. Façam isso e o índice de erros em suas resenhas diminuirá consideravelmente.

 ***

E, se após isso tudo, você ler e pensar…”Meu Deus, não faço nada disso! E agora?” Te respondo: “Seja feliz escrevendo do jeito que gosta, do que jeito que te faça se sentir bem!” Como já dito, cada um tem um estilo. Eu achei o meu e estou muito feliz com ele.

Só peço que, pelo amor de Deus, aprenda a escrever, conheça a sua língua. Sem isso, estilo não é nada.

11 comentários a “[ etc ] Resenhando”

  1. Que legal conhecer o seu “ritual” para escrever. Funciona muito bem com você.
    E, ai que dó de ver o livro todo rabiscado assim, eu não consigo fazer isso.
    Também acho que o mais importante, independente de ordem ou sequência, é escrevrer corretamente. É claro que às vezes escapa alguns errinhos, mas é bom ir se corrigindo.
    Beijos.

  2. Gêmula,esse post foi maravilhoso.
    Morri ao ver sangue quente ali rabiscado :P
    eu não tenho coragem, mas tá aí uma coisa que eu fazia e parei: anotar minhas primeiras ideias em um caderno. Vou voltar a fazer isso já. Ainda mais porque eu demoro muito a resenhar (dou um espaço de 3 livros) e acabo esquecendo os tópicos que eu queria falar.
    Bjs e parabens pelo post de utlilidade pública kkkkkkkkkkkkk

  3. Nossa, acho que infarto com um risquinho se quer nos meus livros >.<
    É engraçado como cada um tem suas manias e rituais, né? Não tenho esse habito de anotar em um caderno porque carrego meus livros pra todos os cantos, mas ai eu sempre arrumo um papel e ponho para marcar a página do que me chamou atenção. Imagina quantos papeizinhos você não encontra no meu livro no final? ;P
    Também não sou de esperar muito para resenhar um livro, talvez porque minha leitura seja mais devagar e com várias paradas pelo livro (leia-se leitura entre aulas e textos da faculdade) então eu já chego no fim bem certa do que eu achei do livro. É claro que quando eu gosto muito do livro leva mais tempo para sossegar e pensar de forma racional ;D

    Genial o post!
    Beijitos
    http://www.bookpetit.com

  4. Amo suas resenhas, ler esse post foi de mais!!!
    Meu rascunho é no word mesmo, kkkk
    Eu ponho a sinopse quando o post é de resenha, mas Sinopse a parte, e resenha a parte (gosto de por, eu fico muito perdida quando vou ler a resenha de um livro que nunca li a sonipse antes…)
    Adorei o post, Gleice!! :D

    Beijos

  5. Oi, Glê!
    Nossa, como você é técnica o_o
    Eu simplesmente leio e… escrevo ._. Me sinto até uma amadora hahahah

    Mas, como você disse, acho que cada um tem um jeito, e não existe certo nem errado :)

    Não rabisco meus livros – tenho dó. E, na realidade, eu sei que é uma dó completamente sem sentido, e tenho esperanças de perder um dia hahahaha Acho que a questão é dar a primeira rabiscada :P Mas sim, eu costumo anotar as páginas com as minhas citações preferidas em um pedaço de papel pra voltar pra elas depois :D

    Ótimas dicas *-*

    beijooo!

    Ju
    julianagiacobelli.com

  6. Dicas valiosíssimas, Gleice! Quando resenho também busco descrever mais os aspectos emocionais da história, afinal acho que é esse o lado que realmente conquista os leitores. Detesto resenha que se limitam a resumir o livro. De coisas do tipo: Fulando conheceu fulana, depois foram para a casa de sicrano etc etc etc eu passo longe. Nas minhas resenha só cito cenas que já são comentadas nas sinopse, afinal do mesmo jeito que não gosto de spoilers deduzo que os meus leitores não gostem :)

    Beijos!
    http://policialdabiblioteca.blogspot.com/

  7. Gleice, você sabe que eu adoro suas resenhas e elas me ajudam muito, principalmente quando são de alguns livros que eu estou em dúvida se compro ou não. Essas dicas são muito importantes, estou cansada de passar por alguns blogs e ver postagens sendo denominadas “resenha”, mas que na verdade são resumos. Algumas pessoas só sabem resumir a estória, e encher de spoiler o que eu acho muito desagradável, eu até já parei de frequentar e ler resenhas de um blog por causa disso.
    Acho que estudar um pouco de português não faz mal a ninguém, e textos muito longos não são mesmo muito legais. Nosso tempo já é reduzido e ainda ver um texto de não sei quantos parágrafos é tenso…
    Sim, cada um tem seu estilo :)
    Bjs

  8. “…mas somente lendo muito e de tudo para começar a perceber melhor as especificidades das obras.”

    Teu jeito de fazer resenhas é parecido com o meu, que na verdade não tem receita de bolo. Como você mesmo descreve “só lendo muito e de tudo” é que começamos a escrever impressões sobre todas as coisas. Gosto de comentar sempre que leio alguma obra. Não tenho medo de expor a minha opinião, o que falta é tempo (e talvez espaço) para publicá-las.

    Parabéns pela iniciativa de mostrar ao público que é possível escrever, e escrever bem acerca de qualquer assunto. Mas sem descuidar da língua.

    Beijo.

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Pode usar estas etiquetas HTML e atributos: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>