[ IMPORTANTE ] Blog fechado por tempo indeterminado

“Às vezes é preciso parar para seguir em frente.” – Jota Quest
Oi, gente! Tudo bem?

 

Fiquei, por muito tempo, olhando para a página do editor de texto antes de começar a escrever esse post, querendo achar o melhor modo de dar uma noticia. Cheguei à conclusão (bem óbvia até) de que a objetividade é sempre um bom início.

 

O blog Murmúrios Pessoais está fechado por tempo indeterminado.

 

Os amigos mais próximos sabem que essa é uma ideia que vem rondando a minha cabeça há mais de um ano e por muitos motivos, mas, basicamente: falta de tempo. Quero investir na minha carreira de escritora, quero me dedicar mais à minha empresa de revisão e preparação de texto (GC Serviços Editoriais), tenho uma monografia de pós-graduação para concluir,  e diversos outros projetos.

 

Não ficarei muito distante, porém. Vou continuar com o meu canal no You Tube (o agora chamado Ultraviolet, mas com o mesmo endereço: www.youtube.com/gleicepcouto) que, em breve, vai sofrer uma repaginação. Sempre disse que amo gravar vídeos e que eles consomem bem menos do meu tempo. No máximo, um dia na semana. Então, vou continuar expressando meu amor pela literatura, através de resenhas, tags etc, por lá. Espero que me acompanhem. :)

 

Queria agradecer imensamente a todos (editoras, parceiros, autores, leitores, blogueiros) que acompanharam o blog ao longo desses anos. Conheci pessoas maravilhosas através dele, que sempre me apoiaram e, principalmente, respeitaram as minhas opiniões – mesmo quando não concordavam com elas.

 

Dá um aperto no coração pausar tudo isso aqui. Afinal, são sete anos de dedicação (o blog começou como pessoal em 2007 e depois, no finalzinho de 2011, focou apenas em literatura). Muito de quem sou e do que consegui hoje, veio por meio do Murmúrios Pessoais e, por isso, sou eternamente grata. Dessa forma, todo o seu conteúdo continuará on-line, mesmo que eu não veja a Gleice de hoje em alguns posts e opiniões.

 

Ao mesmo tempo, todavia, em que há o aperto, há também a expectativa pelo que está por vir. Então, me dou ao luxo de ficar triste por cinco minutos pela etapa que está terminando – afinal, sou humana – , mas também me permito a mesma quantidade de tempo para ficar eufórica pelo futuro à minha frente.

 

É isso. Mais uma vez, obrigada. Muito obrigada. <3 *esmaga*

 

Gleice Couto

 

Obs 1: O sorteio do livro Cemitérios de Dragões, do Raphael Draccon, está de pé e, ao término, será anunciado o ganhador no próprio formulário, junto da resenha.

 

Obs 2: Agradecimento superespecial para as editoras parceiras que entenderam meus motivos e me apoiam nessa nova fase no canal do You Tube. <3

 

Obs 3: O meu site pessoal também sofrerá mudanças em breve, então, não deixem de visitar: www.gleicecouto.com.br! ;)

[ resenha ] Entre o Agora e o Nunca e Entre o Agora e o Para Sempre, J.A Redmerski @Suma_BR

Por Raphaela Barros

Quando a Gleice me deu os livros para ler, juro que eu imaginava algum romance erótico bem meia boca, que eu confesso, gosto demais. E eu simplesmente a-m-o quando sou surpreendida, me envolvo com a história: ela me faz rir, ficar angustiada, imaginando o desfecho. E foi exatamente isso que aconteceu com Entre o Agora e o Nunca – a começar pelo fato de não ser erótico. Eu não tinha lido nenhum livro esse ano ainda que realmente me prendesse a atenção e que me envolvesse a ponto de não desgrudar do livro. E isso aconteceu aqui e eu estou simplesmente in love. Isso se deve, acredito, pela identificação com a personagem principal e pela escrita cativante e divertida.

O sonho de Camryn é viajar com uma mochila nas costas pelo mundo. Porém, a realidade é diferente: ela mora com a mãe e tem um trabalho que não gosta. Depois de problemas com a melhor amiga que acredita que ela está afim do namorado e a morte de alguém muito próximo e querido, Cam decide, em um impulso, comprar uma passagem de ônibus sem saber qual destino ela tomará, já que poderá descer em qualquer cidade do trajeto. No meio do caminho, esbarra em Andrew, que também está com problemas que não consegue lidar. Depois de muitas idas e vindas, reviravoltas, troca de palavras e – por que não? – de insultos sutis, a aproximação é inevitável e, motivados pelos recentes acontecimentos que de alguma forma os une, Cam topa entrar no carro com Andrew e deixar a estrada guiá-los. E nessa estrada as experiências serão muitas, criando uma conexão incrível entre os dois e ajudando-os a superar os traumas e problemas.

Continuar a ler

[ resenha + SORTEIO ] Cemitérios de Dragões, Raphael Draccon @editorarocco

Em diferentes pontos do planeta Terra, cinco pessoas com histórias e origens completamente distintas desaparecem por motivos variados e acordam numa outra realidade. Em meio a guerras envolvendo demônios, dragões, homens-leão, seres fantásticos e metal vivo, os cinco precisam compreender os motivos de estarem ali e combater um mal que talvez não possa ser impedido. Este é o mote de Cemitérios de dragões, o novo romance de Raphael Draccon, que marca a estreia do selo Fantástica. No livro, o autor de Dragões de Éter apresenta uma versão moderna e adulta de um universo inspirado por séries queridas por toda uma geração como Jaspion, Changeman, Flashman, Black Kamen Rider e Power Rangers.

Foi com expectativa que peguei o primeiro livro da nova trilogia de Raphael Draccon, publicado pela Rocco (selo Fantástica), com o título de Cemitérios de Dragões – Legado Ranger. Já li dois livros do autor: Fios de Prata e Espíritos de Gelo (ainda devo a leitura de Dragões de Éter) e curti ambos. Draccon já tem um nome consolidado na literatura fantástica brasileira e, por onde passa, por causa de seus livros, mas também pelo seu carisma, deixa uma leva de aficionados.

Além do nome, ele também já tem estilo de narrativa – na verdade, o consolida nesse lançamento. Você pode me dar um livro com uma capa preta que, pela narrativa dele, vou saber que é do Draccon. Essa individualidade é importante e tem ligação com o que disse no parágrafo anterior: carisma. Mas, aqui, a literária. Então, o que você pode esperar de Cemitérios de Dragões é: tiradas engraçadas, algumas reflexivas, ação (muita!), referências à cultura pop/nerd e fantasia. E o saldo, para mim, foi bem positivo.

Continuar a ler

[ #QueremosPictaMundi ] Petição para publicação! Vem, gente! o/

“Chegou a hora de a gente tentar falar para as editoras o que a gente quer ler.” Jackson Jacques sobre ‪#‎QueremosPictaMundi‬

Gente, estou sem palavras. O que dizer de um grupo que apadrinhou Picta Mundi com tanto carinho? Nunca imaginei que a Bienal me proporcionaria conhecer pessoas tão amorosas e generosas! Nunca imaginei que a brincadeira do OH MEU DEUS É A GLEICE COUTO pudesse chegar até aqui… Um “movimento” para publicação de Picta Mundi por uma editora, com petição e tudo!

Sempre disse que acreditava na força da blogosfera e vlogosfera, às vezes tão subestimada, e vocês são a prova disso! Obrigada a todos blogs, vlogs, inscritos, leitores que estão assinando a petição!

Ainda estou chocada e surpresa, mas com o coração transbordando de alegria por todos viverem esse sonho comigo. E, independente de conseguir publicação por um editora, já vale saber que tenho pessoas queridas torcendo por mim. Esse é o grande prêmio.

AH! MAS ASSINEM A PETIÇÃO POR VIA DAS DÚVIDAS. VAI QUE, NÉ? HAHAHAHAHAHAHA CLIQUEM AQUI PARA ASSINAR! <3

***

Ah! Os vídeos dos amados que bolaram isso tudo! <3 #AmorDefine

No Meu Criado Mudo

Blogueiros e vlogueiros que apoiaram a causa em seus blogs/canais! #AmorDefineParte2

(Se você divulgou a petição, me avise que coloco o link aqui! ;)

De Cabeça Para Baixo
Um Papo Entre Páginas
Literatura e Eu

 

[ resenha + SORTEIO ] O Reino das Vozes que Não se Calam, Carolina Munhóz & Sophia Abrahão @editorarocco

Sophie se esconde de todos e de si mesma: insegura, não consegue enxergar sua beleza e talento, e sente dificuldade em se relacionar com os outros. Seu dia a dia se perde entre os caminhos tortuosos dos que convivem com a depressão e o bullying, e a jovem aos poucos vai se fechando na escuridão de seus pensamentos. Desamparada e sem coragem de lidar com seus problemas, ela acaba descobrindo um lugar mágico: um Reino onde as vozes não se calam e as criaturas encantadas se tornam reais. Um local colorido onde ela finalmente poderá se encontrar. Dividida entre a realidade e a fantasia, Sophie contará com a ajuda preciosa de um rapaz comum e uma guardiã encantada, que lhe mostrarão os segredos da alma e a farão decidir se vale a pena enfrentar seus medos ou viver em um eterno conto de fadas.

O Reino das Vozes que Não se Calam (Rocco) é o quarto livro de Carolina Munhóz, e o primeiro que escreve em parceria (com a atriz/cantora/ex-Rebelde Sophia Abrahão). A Munhóz eu já conhecia, ela traz em seu currículo os livros A Fada, O Inverno das Fadas e Feérica, mas confesso que, por incrível que pareça, até então não fazia ideia de quem era Sophia Abrahão. Descobri que a moça tem um fandom gigante e bem apaixonado, os tirulipos. Logo que saiu a notícia de que escreveriam um livro juntas, a promessa era que mesclariam os “mundos” das duas: escrita os tirulipos. Então, não sabia muito bem o que esperar.

O bacana é que me surpreendi, porque esperava um livro muito menos denso do que O Reino das Vozes que Não se Calam é. Pensei que seria uma leitura leve e com situações amenas, mas nada disso. Nas entrelinhas percebi questões sérias tratadas com o devido cuidado. Gosto de pensar que a literatura jovem pode passar algo mais que diversão quando vista sob uma ótica mais apurada. Temas como bullying, depressão, suicídio, transtorno alimentar e outros são abordados sem camuflagem de palavras.

Continuar a ler